O Akita / Temperamento e Comportamento

Por Soraya de Castro Guedes – sorayaonline@hotmail.com

O dono, o amigo do dono, o estranho e o intruso?

Isto mesmo! Parece coisa de maluco mas não é não…rsrs…
 
Akita, desde que tenha um temperamento adequado, deve reconhecer instintivamente o dono, o amigo do dono, o estranho e o intruso. Neste post vamos falar mais especificamente, sobre como ele reconhece “o dono”.
 
cão Akita entende por dono as pessoas que moram com ele.  Não estou falando de afinidade não – sobre isto falaremos num próximo post. Estou falando da forma como o cão se relaciona hierarquicamente com a família. Ele vê a família como um todo que lhe pertence, portanto protege e rastreia a “alma” de todos os integrantes – daí eu dizer que ele é um “rastreador de almas”. Uma vez convivendo com a família desde pequeno, ele percebe a energia de cada um e aprende a reconhecer os momentos de fragilidade sejam eles de medo, aflição, fragilidade da saúde, ou pânico por perigo eminente. Vale ressaltar que por vezes em caso de saúde fragilizada ele pode se tornar um protetor mais incisivo do que normalmente ele é.
 
Porém, vale ressaltar que, dependendo do tipo da estrutura familiar na qual ele esteja inserido, ele pode apresentar um comportamento mais ou menos ativo. Uma estrutura familiar composta por uma pessoa idosa que mora sozinha, por exemplo, obviamente vai estimular que o Akita seja ainda mais quieto  e observador do que já é. Outro fator interessante a ser observado, e que vamos falar oportunamente num outro post, é a idade em que um filhote deve ser levado para este tipo de estrutura familiar.
 
Já uma estrutura de família que tenha  3 ou 4 crianças pequenas com seus muitos amiguinhos visitando a família, como você acha que se comportaria o akita? A resposta você terá acompanhando os posts,  até lá…
 
Saudações akiteiras…
 
Soraya Guedes
Pesquisadora Comportamentalista da Raça Akita
Juíza da Raça Akita – CBKC/FCI
www.koyukikensha.com.br
 
 

O Akita e o amigo do dono…

Isto mesmo! O Akita, desde que tenha um temperamento adequado, deve reconhecer instintivamente o dono, o amigo do dono, o estranho e o intruso. Neste post vamos falar mais especificamente, sobre como ele reconhece “o amigo do dono”.
 
Temos que ter em nossa mente, de forma bem clara, que o Akita entende o amigo do dono de duas maneiras, sendo uma delas fora de casa e outra dentro de casa.
 
Neste post vamos falar sobre a forma com ele encara o “amigo do dono” fora de casa.
 
Quando falamos em Akitas, temos que especificar a estrutura familiar a qual ele é inserido, o sexo do cão, sem esquecer a idade. Neste contexto vamos tomar como ponto de partida um Akita macho, com três anos que convive numa estrutura familiar com quatro pessoas, sendo duas crianças com idade entre seis e oito anos e um casal de adultos.
 
Tendemos a imaginar que o Akita vai entender como amigo do dono, as pessoas que freqüentarem a casa do dono. Mas o Akita vai muito além disto – o que acho fantástico!
 
Partindo do princípio de que o Akita é um rastreador da alma do seu dono, percebemos que ele entenderá como “amigo” do dono, todas as pessoas que não alterarem o campo energético do seu dono. Isto mesmo, se o dono permanece tranqüilo, o Akita entende que seu dono não corre perigo, logo, o Akita não vê motivos para manifestar guarda ou ataque. Porém se o dono não estiver confortável com alguma situação, o Akita percebe pela energia liberada e entra em alerta imediatamente, procurando a “causa” do que tira a paz do dono.
 
Só para constar – é comum vermos reações de alerta no Akita, quando temos mães de bebês que começam a andar, e elas se preocupam com os bebês e tem medo que eles caiam.  É interessante, pois o Akita normalmente as fêmeas ficam perto dos bebês como se tivessem sossegando as mães. Infelizmente muitas não percebem e retiram seus cães de perto dos bebês, por não compreenderem este comportamento. Observe que neste caso o Akita detecta “preocupação”. Já em caso de medo ou pânico como num assalto o Akita perceberia o altíssimo grau da energia e entraria em ação sem esperar que o dono desse nenhum comando. Destaco que falo aqui em cães da raça Akita com temperamento equilibrado, portanto que agem por instinto.
 
Podemos então refletir: se Akitas, são rastreadores da “alma do dono”, como eles atenderiam a um comando de voz vindo de um estranho? De um adestrador por exemplo? Qual adestrador neste mundo simularia o campo energético do dono para um Akita?  Akitas com temperamento equilibrado de verdade, são considerados desobedientes em provas de adestramento, pois não se rendem aos adestradores. Falaremos sobre Akitas e adestradores em outro post.
 
Para um Akita, amigo do dono é quem não faz mal ao dono. Alguém que não faz alterar de forma negativa o seu campo energético. A esta pessoa o Akita é tolerante Isto mesmo, o Akita é apenas tolerante. Ele não vai ficar fazendo festa para esta pessoa, mas também não vai ficar indiferente. Ele vai ficar observando.
 
O tema é absolutamente complexo, portanto aos poucos vou contando para vocês o resultado das minhas observações com estes “Maravilhosos Akitas”.
 
Saudações akiteiras…
 
Soraya Guedes
Pesquisadora Comportamentalista da Raça Akita
Juíza da Raça Akita – CBKC/FCI
www.koyukikensha.com.br
 
 

Como o Akita identifica o estranho e o intruso.

  “…todo Akita equilibrado  deve reconhecer instintivamente
 o dono, o amigo do dono, o estranho e  o intruso…” scg
 
Como o Akita identifica o estranho e o intruso.
 
Desde que tenha um temperamento equilibrado, é singular a forma como o Akita se comporta frente a estranhos.
 
Interessante saber que para o Akita, estranhas são aquelas pessoas que simplesmente passam pela frente do portão da sua casa. A estes o Akita apenas observa sem latir, simplesmente esperando a pessoa passar. Já intruso, o Akita considera a pessoa que toca o seu portão. Ele entende o ato do estranho tocar o portão como invasão de espaço e neste momento o estranho se torna um intruso é neste momento o Akita avisa e pode atacar.
 
O cão Akita é um cão que entende por território o lugar onde seu dono está. Por isso é um guardião em potencial da alma do dono. Ele guarda as coisas do dono, pelo simples fato de serem do dono. É facilmente constatado isso quando levamos nossos Akitas para casa de campo ou praia quando ele entende como intruso as pessoas estranhas que mexem nas coisas do dono
 
Como o Akita é um cão que não faz estardalhaço com latidos, e seus movimentos corporais são delicados, muitas pessoas desavisadas, dizem que ele é traiçoeiro. Porém este é um total equívoco. São as pessoas que, Poe falta de informação ou de orientação,  não reconhecem os sinais que o Akita dá. Quais seriam estes sinais? Diferem entre machos, fêmeas e casais. Isso mesmo quando estão em casais estabelecem um nível de guarda hierárquica muito interessante – falarei sobre isso mais detalhadamente breve. No geral os Akitas, tanto machos quanto fêmeas, olham fixamente para o estranho e dão uns poucos latidos bem curtos como forma de aviso, enquanto balançam o rabo lentamente de um lado para outro ( tem pessoas que acham que isso é abanar o rabo e que por isso ele é traiçoeiro), porém se o aviso é ignorado, ele parte para o ataque efetivamente. Machos normalmente observam o estranho e miram fixamente, partindo em direção a ele caso seja necessário. Já as fêmeas costumam latir um pouco mais que os machos e se dirigem na direção do estranho, porém retornam parte do caminho, indo e vindo ou ainda apenas voltando a cabeça procurando avisar a família.
 
Quando estão em casal, os Akitas estabelecem entre si uma hierarquia de guarda que na maioria das vezes se dá da seguinte maneira: quando estão em guarda na casa, cada um tem seu ponto estratégico de permanência, onde conseguem perceber toda a movimentação da casa – chamamos isso de ponto estratégico– caso alguma movimentação estranha aconteça, os dois cães percebem, porém é a fêmea quem saí pra explorar e verificar se realmente é necessária a intervenção do macho. Se ela percebe que se trata de intruso sendo necessária a intervenção do macho, ela o avisa com um tipo de latido específico, e enquanto o macho sai pra atacar, a fêmea volta para avisar e ficar perto da família ou em alguns casos ao lado da pessoa mais frágil da família – por vezes bebês. Caso seja necessária a ajuda da fêmea, o macho a chama com um latido específico e ela parte pra ataque junto com o macho. Caso a fêmea em qualquer um dos casos perceba que se trata de estranho, ela simplesmente volta para o seu lugar sem mesmo latir.
 
Infelizmente, quando as pessoas ou os donos dos Akitas, não são orientados a perceber o sutil comportamento do Akita, eles podem ser errôneamente interpretados e daí é atribuído ao cão akita e não ao ser humano, o fato dele estabelecer o “aviso” a “guarda” e o “ataque” de formas distintas.
 
Nos mais de 15 anos em contato estreito com proprietários de mais de 500 cães da raça Akita -na grande maioria proprietários de cães da nossa criação no Koyuki Kennel- tive oportunidade de ouvir dos donos dos Akitas que os cães se comportaram desta forma. E tive ainda o privilégio de conviver com ele se constatar inúmeras cenas na minha própria casa.
 
Felizmente alguns raros criadores, já começam se conscientizar da grande responsabilidade que é colocar um Akita na casa das pessoas, buscando aprimorar cada vez mais o temperamento e comportamento do Akita. Embora raros ainda, já conseguem apresentar ao lado dos troféus e premiações de ranking, algum conhecimento de temperamento da raça que promova orientação segura ao novo proprietário. Porém muitos sequer diferenciam entre temperamento e comportamento.
 
Não se esqueça, todo bom Akita deve ter linhagem, nobreza e berço!
“…saudações akiteiras…”
 
Soraya Guedes
Pesquisadora Comportamentalista da Raça Akita
Juíza da Raça Akita – CBKC/FCI
www.koyukikensha.com.br

Veja também

Filhotes Disponíveis


Nossas Filiais


Hotelaria para Akitas


Blog Yucatán Br

MicroshipFarmina
#Siga-nos
  • Facebook
  • Youtube
  • Twitter
  • Pinterest

Rodovia Dom Pedro I - Igaratá - São Paulo - Brasil
Fones: +55 (11) 98535-4150 (TIM) / (11) 99520-5131 (VIVO) / Nextel ID: 117*30728
contato@akitainubrasil.com.br